#Brasil

Esporte a motor em Goiás, no Brasil e no Mundo

quinta-feira, 10 de março de 2016

Porsche GT3 Cup Challenge abre temporada em Curitiba

Agora Sul-Americano e conferindo ao grande campeão a participação em Le Mans no próximo ano, campeonato dos carros de corrida mais vendidos no mundo terá três corridas na capital paranaense sábado

Largada da Cup Luca Bassani

Os carros de corrida mais vendidos do mundo voltam a competir neste sábado em pistas brasileiras. Agora com o status de Campeonato Sul-Americano, a temporada da Porsche GT3 Cup Challenge abre em Curitiba sua jornada em 2016. Serão três corridas, todas no sábado, sendo duas
válidas pela classe Cup e uma pela Challenge.

Entre os 35 Porsches já confirmados nos dois grids estão inscritos veteranos das 12 temporadas da história da categoria, estreantes, pilotos que retornam ao evento após um ano de ausência, bem como competidores promovidos do Time Attack para classe Challenge e desta para a classe Cup.


Na categoria principal, que mantém o sistema de rodadas duplas com o grid de largada da segunda bateria invertido em relação à ordem de chegada da prova 1, são 19 os Porsche GT3 Cup geração “991” confirmados para a etapa de abertura.

A novidade porém é o mecanismo de montagem do grid. Após a bandeirada da primeira bateria, um sorteio definirá se o segundo grid terá a inversão de 8, 9 ou 10 posições para a largada da prova complementar.

Os pilotos mais laureados do campeonato de 2016 são os bicampeões Miguel Paludo e Ricardo Baptista. Mas eles não terão vida fácil.

Estreante no ano passado, o paranaense Lico Kaesemodel sentiu o gosto da vitória na última corrida do ano e quer permanecer no alto do pódio competindo em casa. Não é diferente de Pedro Queirolo, vencedor da Porsche 300 em dupla com Marcel Visconde, sobre quem há alta expectativa de performance em 2016 depois de um segundo semestre muito consistente.

Campeões da classe Cup Sport em 2015 e 2014 respectivamente, Daniel Schneider e Edu Azevedo novamente prometem protagonizar tomadas de tempo e corridas e, com desempenho consistente ao longo das seis etapas de Sprint, naturalmente serão candidatos ao título pela velocidade que mostraram nos últimos anos.

E há ainda os dois últimos campeões da classe Challenge, JP Mauro (2015) e Fábio Alves (2014), que neste ano passam a competir na Cup. Eles estreiam na classe junto com Paulo Pomelli e Marcelo Hahn –segundo colocado na Porsche 300 no ano passado em parceria com Allam Khodair.
Sem os últimos grandes campeões da classe Challenge no grid, os holofotes estão nos pilotos que lutaram pela coroa em 2015, tanto no geral quanto na classe de entrada, a Challenge Sport –além de competidores que retornam aos Porsche “997 typ-II” após um ano sabático.

O chileno Gonzalo Huerta volta a competir com o carro #7, agora para a temporada completa. Em 2015 ele estreou apenas em Cascavel (a terceira etapa do calendário). Ganhou corridas na classe Sport, acumulou pódios no geral e gostou tanto do evento que é um dos idealizadores da novíssima GT3 Cup Chile.

Rodrigo Mello, com o #29 e Daniel Corrêa, com o #69, foram até a última prova lutando pelo título da classe Sport com Tom Filho. O maranhense levou a melhor e saiu com a coroa por margem mínima. Mas o duelo promete mais para 2016, agora pelo título no geral.

Ausentes em 2015, Otávio Mesquita e Christian Germano também prometem embolar essa disputa. Ambos são experientes e isso pode ser um trunfo nesta temporada.

Com apenas seis corridas no calendário do campeonato de Sprint (há mais três de Endurance), a margem para erros é bem menor em 2016: no ano passado, com 15 corridas, havia bem mais chance de um piloto se recuperar de um resultado ruim.

Por outro lado, com apenas seis chances de vencer no ano, ou seja os pilotos terão de dosar a agressividade para chegar ao topo do pódio e o risco de um abandono.

São equações que começam a ser resolvidas a partir desta sexta-feira, com os treinos livres e classificatórios.

Além dos títulos no geral em cada classe, tanto a Cup quanto a Challenge conservam a disputa nas divisões Sport (classe de entrada), sendo que a Cup tem ainda a divisão Master para competidores acima de 50 anos de idade.

As três etapas de Endurance não contam para os campeonatos de Sprint, mas terão pontuação computada também no ranking final da Cup e da Challenge, para apuração dos grandes campeões de 2016. No caso da Cup, este será premiado com a participação numa corrida exclusiva para Porsches na preliminar das 24 Horas de Le Mans em 2017, enquanto o grande vencedor da Challenge ganha uma etapa de Cup na próxima temporada.

No sábado, as corridas acontecem a partir das 10h com a primeira prova da Cup.

O livetiming da categoria mostra a cronometragem oficial a partir de sexta-feira. No sábado, o canal oficial da Porsche GT3 Cup no Youtube mostra as corridas ao vivo, bem como o site oficial. Na TV, as provas são mostradas pela Band na semana seguinte.

DECLARAÇÕES DOS PILOTOS

A expectativa para o ano é bem grande. Segundo ano da Brandt no Brasil: só nesta corrida vão 24 pessoas, incluindo o presidente da empresa. Eles não esperam nada mais nada menos que ganhar corridas e disputar o campeonato. Neste ano, ainda mais importante, serão dois campeonatos: Endurance e Sprint, para ganhar e ir a Le Mans. Então tem muita coisa legal acontecendo, estou muito empolgado. Curitiba sempre foi uma pista favorável para mim e mal posso esperar para acelerar

MIGUEL PALUDO, bicampeão e piloto do #32 da classe Cup


O ano passado foi meu ano de estreia, um ano de muito aprendizado. Só me senti adaptado mesmo ao carro no segundo semestre. Mesmo assim foi muito bom, fiz uma pole, subi ao pódio em 10 das 18 corridas e conquistei a vitória na última etapa da temporada, o que me dá mais motivação para entrar nessa temporada com tudo em busca de mais vitórias. Terminei o campeonato de 2015 em 5º e minha meta é brigar pelo título da Sprint esse ano. A vontade de voltar a acelerar é grande, ainda mais começando em casa, no autódromo de Curitiba. Vou aproveitar para curtir bastante essa pista, que ao que consta vai acabar

LICO KAESEMODEL, 5º colocado em 2015 e piloto do #63 da classe Cup


O treino pré-temporada foi excelente. Tive mais uma oportunidade de andar no Cup, me adaptar ao equipamento e buscar o acerto ideal para minha pilotagem. Saí muito satisfeito do treino e me provei competitivo apesar do pouco tempo acumulado no carro, com o terceiro tempo entre quem estava treinando. Espero ser competitivo novamente em Curitiba e nascer na nova categoria já vivo na disputa do campeonato. Obviamente pensar em vitória seria prepotência, mas espero sim nascer vivo na disputa dos pontos. Curitiba é uma pista que me agrada muito e talvez o mais generoso do calendário comigo. Ano passado tive três vitórias lá de Challenge e na Copa Montana fiz uma corrida na chuva largando de 18º e chegando em quarto, então estou muito animado com a estreia

JP MAURO, campeão da Challenge e estreante na classe Cup com o carro #90


Acho que vai ser um campeonato bem diferente e o vencedor será quem tiver mais paciência. São apenas seis corridas e a constância será fundamental. Acho que deve diminuir o número de batidas e espero que os companheiros de corrida sejam mais cautelosos nas disputas para que todos tenham um desempenho positivo no final. Mas minha estratégia é ser constante como sempre fui, não me envolver em acidente e a palavra de ordem será consistência. Rapidez será consequência e apenas importante para as tomadas de tempo. Mas nas corridas o que manda é ser constante, não bater e ir baixando o tempo a cada volta. Espero muita diversão no campeonato, reencontrar os amigos que fiz em 2015, conhecer novos e, se der tudo certo, finalizar o ano com uma coroa de campeão novamente

DANIEL CORRÊA, campeão da Challenge Sport e piloto do #69 da classe Challenge


Fiz os treinos de pré-temporada e me preparei bastante com kart, simulador e preparação física. Acho que estou afiado para o começo da temporada e espero que comece 2016 como terminou 2015, quando liderei treinos e andei no pelotão da frente. Isso será importante para lutar pelo título. Acredito que tenho potencial para isso, mas diante de adversários muito competentes como o Cristiano Piquet (na minha opinião o favorito), Otávio Mesquista (cuja volta eu destaco porque é muito experiente e sabe se posicionar na corrida) e claro meus companheiros que vieram da Sport como Daniel Corrêa.

Gostei do novo formato com seis etapas. São menos oportunidades para chegar na frente e isso vai exigir velocidade desde os primeiros treinos e motivar os pilotos a irem sempre pra cima

RODRIGO MELLO, piloto do #29 da classe Challenge


CRONOGRAMA DA ETAPA 1 - CURITIBA                       
Quinta-feira, 10 de março
8h – 10h30 – Shakedown – Cup e Challenge
11h – 11h45 – Clínica de pilotagem 1 – Cup e Challenge
13h30 – 14h – Treino opcional 1 – Cup e Challenge
14h05 – 14h50 – Clínica de pilotagem 2 – Cup e Challenge
14h55 – 15h25 – Treino opcional 2 – Cup e Challenge
15h30 – 16h15 – Clínica de pilotagem 3 – Cup e Challenge

Sexta-feira, 11 de março
10h – 10h30 – Treino opcional 1 – Challenge
10h35 – 11h05 – Treino opcional 1 – Cup
11h10 – 11h40 – Treino opcional 2 – Challenge
11h45 – 12h15 – Treino opcional 1 – Cup
13h05 – 13h40 – Briefing – Cup e Challenge
13h55 – 14h40 – Treino livre 1 - Challenge
14h45 – 15h30 – Treino livre 1 – Cup
15h45 – 16h15 – Classificação – Challenge
16h20 – 16h40 – Classificação – Cup

Sábado, 12 de março
10h – 10h40 – Corrida 1 (25min + 1 volta) – Cup
11h – 11h40 – Corrida (25min + 1 volta) – Challenge
12h – 12h40 – Corrida 2 (25min + 1 volta) – Cup
13h – 14h – Porsche Experience


CONTATO
Luis Ferrari
imprensa@porschegt3cup.com.br
11 98666.8307

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem-vindo ao Blog SBR!