#Brasil

Esporte a motor em Goiás, no Brasil e no Mundo

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Tecnologia para o trânsito

Os nossos veículos hoje são mais seguros que antigamente graças a tecnologia empregada pelas montadoras e pela melhoria das leis de trânsito. Vale lembra que há menos de 20 anos atrás não era obrigatório o uso do cinto de segurança e motociclistas andavam sem capacete.
Tudo isso não é suficiente para deixar o trânsito mais seguro, já que a mente humana não colabora e abusa da sorte ao conduzir o seu veículo, pelas ruas e estradas.


Mas o que queremos destacar hoje são os semáforos, sinaleiros, farol, dependendo de sua região. O máximo de tecnologia empregada a eles que vimos até hoje é um contador regressivo, apontando o tempo para que mude, mas e quando acaba a energia?

Aí o caos é instalado, todos tem a preferência, cruzamentos bloqueados, motoristas nervosos, luz alta, buzina...


Por que a tecnologia dos radares de velocidade e avanço de sinal não são empregados também ao sinaleiro para que mantenha seu funcionamento mesmo faltando energia?
E por que  não há programação diferente para horários distintos? A noite que o fluxo de veículos é menor e não há pedestres é comum ficar todos parados por um tempo muito longo sem qualquer movimento e ainda aguardando o tempo do pedestre.    


Enquanto o objetivo for só arrecadar dinheiro e não melhorar a vida do cidadão que paga um IPVA absurdo vamos continuar vivendo isso. E o pior que isso acontece em todos os setores da sociedade.


Por Iris Júnior

2 comentários:

  1. Eu acho que todos os semáforos deveriam ter placas de energia solar iguais as que instalam nos radares da BRs e GOs.

    ResponderExcluir
  2. É o mínimo que poderiam fazer. Depois disso sensores capazes de gerenciar o tráfego e se adequar ao fluxo de veículos

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo ao Blog SBR!