GO-SBR

Esporte a motor em Goiás, no Brasil e no Mundo

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Vinícius Papareli terminou Copa Brasil em 6º em sua estreia no Kartódromo de Farroupilha


Poucos treinos e chuva atrapalharam desenvolvimento

Uma das mais importantes competições do kartismo nacional, a Copa Brasil realizou sua 14ª edição na última semana, de 9 a 13 de outubro, em uma pista raramente usada pela maioria dos pilotos, o Kartódromo César Francischini, em Farroupilha (RS). Para o paulista Vinícius Papareli (Unicerta | Academia Postural | TCM Pilates) a nova pista foi um desafio a mais, já que ele estava na lista dos pilotos que ainda não a conheciam.

"Foi ainda mais complicado, pois tínhamos apenas dois treinos de 40 minutos cada e choveu praticamente o tempo todo", lembra Vinícius. "Consegui algo em torno de uns cinco minutos de pista seca, o que já me permitiu andar próximo dos demais", continuou.

Piloto da Júnior, categoria em que sagrou-se campeão brasileiro em 2011, Papareli obteve apenas a sétima posição na tomada de tempos, mas fez ótima largada na primeira bateria e nas primeiras voltas aparecia em 3º. Porém, aos poucos ele foi perdendo posições e terminou em 5º. Ao fim da prova foi constatado que um dos pneus de seu kart estava muito vazio e as "caixas" do kart estavam soltas, o que explicava sua perda de rendimento.

Papareli fez nova boa largada na segunda bateria, quando tinha um kart muito bem acertado, mas, ao ser ultrapassado por um concorrente, foi tocado e quase perdeu o controle de seu kart, perdendo várias posições. Na 3ª volta Vinícius Papareli (Unicerta | Academia Postural | TCM Pilates) não conseguiu desviar de um acidente e teve que abandonar a prova, já que seu acelerador ficou "prensado".

A soma dos pontos das duas baterias disputadas em Farroupilha fez com que Vinícius Papareli terminasse a 14ª Copa Brasil em 6º, muito próximo do pódio. "Como o Vini nunca tinha andado na pista, ficamos satisfeitos com seu desempenho. E os resultados não foram culpa dele", avaliou Viviane Papareli, mãe do piloto. "A corrida da Júnior parecia corrida de ‘carro-choque’, era muita batida, diferente da Junior Menor, cujos pilotos deram um show na pista", salienta.

KG COM Assessoria de Comunicação - Erno Drehmer (MTb/RS 14.706)